Dissertation Writing service Buy Dissertation Online essay writing service cheap essay writing Histórico | Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos

Histórico

         

           O programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos (PGCTA) foi aprovado na 94° Reunião do Conselho Superior Técnico Científico da CAPES, em 21-22 de novembro de 2006 e a primeira turma teve início em março de 2007. Este  programa que funciona no Departamento de Ciências Domésticas da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE),  constituiu um esforço para implantar um curso de mestrado ainda inexistente no Estado de Pernambuco com vistas a atender a demanda de profissionais do Norte e Nordeste do Brasil. Em Pernambuco, os profissionais graduados que desejavam enveredar na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos eram obrigados a migrar para outras regiões do país. Esse inconveniente foi sanado com a implantação do Programa aqui citado na UFRPE, instituição que atua primordialmente na área de Ciências Agrárias. Ressalta-se que a confirmação desse fato foi demonstrado pelo número significante de candidatos inscritos nas duas seleções realizadas pelo Programa (48 e 37 candidatos/ 6 vagas, respectivamente para a primeira (2007) e segunda (2008) turma).

            Outro benefício a considerar foi à concentração de pesquisas direcionadas a utilização do potencial dos recursos disponíveis no ecossistema da região, o que não necessariamente se daria quando o profissional era obrigado a se deslocar para outras regiões, visando continuar seu aperfeiçoamento profissional avançado. O programa visa à aplicação da Ciência e Tecnologia de Alimentos em recursos disponíveis na região, tais como frutos de plantas nativas, frutos tropicais, carcinicultura, avicultura, laticínios, entre outros, bem como a aplicação das boas práticas de fabricação na agroindústria de modo a assegurar a produção de alimentos seguros. Deve-se ressaltar, o crescente interesse pelas propriedades químicas de inúmeras espécies, integrantes da enorme biodiversidade da região, o que poderá induzir o cultivo de algumas espécies nativas, tornando necessário ou recomendável seu progressivo melhoramento genético.

            Deve-se enfatizar que a geração de novos conhecimentos, oriundos deste programa (dissertações e trabalhos científicos publicados em períodicos) constituem uma considerável contribuição para o desenvolvimento regional, atuando fortemente nos pólos de fruticultura irrigada, de carcinocultura e de laticínios. Além disso, possibilitará manter estreita relação de parceria com a iniciativa privada, a exemplo de exportadores de frutas, agroindústrias e indústrias de alimentos, e instituições de pesquisa existentes na região Nordeste.